Loading...

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

★Saiba a diferença entre educação especial e educação inclusiva.★


Para que a educação seja realmente uma realidade no qual todos aprendam o verdadeiro sentido de se tornar um cidadão pleno, antes temos um ideal que é o de elevar o conhecimento cultural a todos, sem exceção. Isso inclui, é claro, os portadores de necessidades especiais. Mas, antes, temos que esclarecer o que é educação especial e educação inclusiva.

Educação especial

Almeida (Abril-2002 Revista Pedagógica), nos da uma idéia da verdadeira educação especial, seguindo os referenciais teóricos e práticos da educação.

Educação Especial é uma modalidade de ensino que visa promover o desenvolvimento das potencialidades de pessoas portadoras de necessidades especiais, condutas típicas ou altas habilidades e, que abrange os diferentes níveis e graus do sistema de ensino. Fundamenta-se em referenciais teóricos e práticos compatíveis com as necessidades específicas de seu alunado.

A educação especial se trata de uma educação voltada para os portadores de deficiências, como deficiências auditivas, visuais, intelectual, física, sensorial, surdocegueira e as múltiplas deficiências.

Para que esses educandos tão especiais possam ser educados e reabilitados, é de extrema importância a participação deles em escolas e instituições especializadas. E que eles disponham de tudo o que for necessário para o seu desenvolvimento cognitivo.

A Classe Especial é uma sala de aula preferencialmente distribuída na educação infantil e ensino fundamental, organizada de forma a se constituir em ambiente próprio e adequado ao processo ensino/aprendizagem do educando portador de necessidades educacionais especiais.

Na Classe Especial tentamos encontrar caminhos e meios facilitadores para a aprendizagem dos educandos com necessidades educacionais especiais, através de uma política de ação pedagógica, recursos educacionais mais individualizados e conta com o professor especializado.

A educação especial faz parte de "um todo" que é a educação, e ter o seu valor reconhecido é de fundamental importância para que os educandos tenham seu crescimento e desempenho educacional satisfatório.

Educação inclusiva

A educação inclusiva é uma educação voltada de TODOS PARA TODOS onde os ditos "normais" e os portadores de algum tipo de deficiência poderão aprender uns com os outros. Uma depende da outra para que realmente exista uma educação de qualidade. A educação inclusiva no Brasil é um desafio a todos os profissionais de educação.

O conceito de inclusão é:

- atender aos estudantes portadores de necessidades especiais na vizinhança da sua residência.
- propiciar a ampliação do acesso destes alunos às classes regular.
- propiciar aos professores da classe regular um suporte técnico.
- perceber que as crianças podem aprender juntas, embora tendo objetivos e processos diferentes.
- levar os professores a estabelecer formas criativas de atuação com as crianças portadoras de deficiência.
- propiciar um atendimento integrado ao professor de classe comum do ensino regular.

O conceito de inclusão não é:

- levar crianças às classes comuns sem o acompanhamento do professor especializado.
- ignorar as necessidades específicas da criança.
- fazer as crianças seguirem um processo único de desenvolvimento, ao mesmo tempo e para todas as idades.
- extinguir o atendimento de educação especial antes do tempo.
- esperar que os professores de classe regular ensinem as crianças portadoras de necessidades especiais sem um suporte técnico.

A educação inclusiva tem de atender esses educandos com qualidade, mas tem que dar condições e especializações aos profissionais, para que os objetivos e o desenvolvimento aconteçam.

Percebemos ao longo da história e, também na atualidade, que a maioria dos profissionais envolvidos na educação não sabem ou desconhecem a importância e a diferença da educação especial e educação inclusiva.

Primeiramente, quando descobrimos uma determinada deficiência em uma pessoa ela deveria ser encaminhada aos profissionais especializados: psicólogos, neuropediatras, fonoaudiólogos, fisioterapeutas e pedagogos especializados, entre outros. Isso é de extrema importância para o desenvolvimento físico e também cognitivo desse educando tão especial.

Segundo Sá (http://www.espacoacademico.com.br/ julho de 2002), a educação destas pessoas tem sido objeto de inquietações e constitui um sistema paralelo de instituições e serviços especializados no qual a inclusão escolar desponta como um ideal utópico e inviável. Para autora, o sujeito com deficiência é um "aluno especial", cujas necessidades específicas demandam recursos, equipamentos e níveis de especialização definidos de acordo com a condição física, sensorial ou intelectual.

Mudando a postura e as concepções por parte de nós educadores, consideramos as diferenças como sendo atributos naturais da humanidade.

Saiba mais em: http://www.fraterbrasil.org.br/uma_reflexao_sobre_a_educacao_es.htm

3 comentários:

  1. Oi Michele como vai? É o Fábio (curso tutoria unesp). Sou blogueiro de carteirinha a muito tempo, tenho um blog só com brincadeiras enviadas por amigos/alunos www.blogzanzando.blogspot.com
    Se puder ajudar me avise.

    ResponderExcluir
  2. Oi,Michele
    Como vai?
    Adorei o seu Blog,principalmente porque trata de um assunto que eu entendo bem:a Educação Especial,pois trabalho na APAE a muito tempo.Entender bem é uma utopia,pois o cérebro humano é sempre uma incógnita.Que legal a foto que você colocou das duas Andréias e da Carolina.Foi por ocasião da apresentação das meninas no NAPA?
    Olha,você precisa me ensinar a fazer um blog tão legal quanto o seu.
    Bjs
    Vaneli

    ResponderExcluir
  3. Oi Micheli, parabéns!!! Seu blog é muito legal, adorei o filme Uma lição de amor, é realmente muito emocionante. Sem contar que a trilha sonora "Lucy in the Sky with diamonds" faz referência ao LSD que muitas vezes, como outras drogas, poder trazer prejuízos aos fetos.
    Enfim, vc é muito consciente, adorei conhecer vc! Jussara

    ResponderExcluir